Quinta, 31 Janeiro 2019 20:51

Quadrinhos, exposição imperdível para fãs de desenho

Avalie este item
(0 votos)
Quadrinhos, exposição imperdível para fãs de desenho Foto: fachada do MIS/Divulgação

O Museu da Imagem e do Som (MIS), localizado no Jardim Europa, promove até 31 de março a megaexposição Quadrinhos, uma mostra imperdível para quem aprecia desenho e boas histórias. A exposição apresenta retrospectiva da arte das palavras, cores e imagens por meio de revistas e itens raros dos mais diversos gêneros mundiais das HQs — infantis, aventura, terror, super-heróis, mangá. Tudo em ambientes temáticos que levam os visitantes a um universo de pura fantasia.

Um painel gigante com 200 personagens aguça a curiosidade de quem passa em frente ao museu. Mas é lá dentro que a magia da 9ª arte mundial se impõe, impulsionada por cenários divididos por continentes.

A primeira sala é dedicada à Europa e recebe os visitantes com totens e objetos de As Aventuras de Tintin, famosa história em quadrinhos de origem belga de Georges Prosper Remi, autor e escritor mais conhecido como Hergé. Na sequência, uma réplica da Batcaverna, completamente hi-tech, conta a história americana das DC Comics com informações dos personagens.

Autores de quadrinhos brasileiros receberam homenagens especiais, caso de Mauricio de Sousa e Ziraldo, ambos com salas exclusivas que vão além do desenho, ou seja, com farto material audiovisual. A cartunista Laerte, Glauco e outros artistas da atualidade ganharam protagonismo com reprodução de imagens em tamanho real, o que vem acompanhado de histórias de vida de cada um.

São 600 itens que consumiram 18 meses de produção. O público pode ver de perto raridades como a primeira revista da Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post, em 1935, e a edição número 1 de O Pato Donald, de 1950. Entre os destaques nacionais está uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa atividade em favor da abolição da escravatura no Brasil.

O curador da exposição, Ivan Freitas da Costa, reforça a relevância histórica e cultural dos quadrinhos, lembrando que a origem da arte sequencial remonta à primeira forma de comunicação do ser humano, que desenhava nas paredes das cavernas para registrar o mundo à sua volta.

Ingressos antecipados, comprados online, custam R$ 30; na bilheteria o valor é R$ 14, sujeito a disponibilidade; grátis às terças-feiras. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.