Imprimir esta página
Quinta, 23 Janeiro 2020 13:22

Aniversário de São Paulo no Museu da Imigração

Avalie este item
(0 votos)

Celebrar o nascimento de São Paulo e destacar o seu desenvolvimento e potência no país é contar a história da imigração e enaltecer o quanto os migrantes contribuíram nesse processo.
 

Em celebração aos 466 anos da maior metrópole do Brasil, o Museu da Imigração realizará uma programação gratuita no sábado, dia 25 de janeiro.
 

A Hospedaria de Imigrantes do Brás, edifício histórico no qual o MI está localizado, esteve presente na trajetória do crescimento da cidade e tem importância significativa nesse progresso. Afinal, em 1886, quando o prédio começou a ser construído.
 

São Paulo possuía menos de 60 mil habitantes e, no ano da sua inauguração oficial (1888), foram matriculados quase 30 mil migrantes, o equivalente a metade da população. Já em 1895, mais de 90 mil pessoas dormiram nas dependências da Hospedaria.
 

Para homenagear o município, a oficina de Street Art “Remontando”, ministrada pela artista Bianca Foratori, estimulará a criação de narrativas visuais, explorando a colagem, o lambe-lambe e o muralismo, das 11h às 16h.
 

Por meio de imagens do acervo iconográfico do Museu, além de outros materiais, os visitantes – a partir de 16 anos – serão encorajados a vivenciarem o processo criativo normalmente utilizado pela profissional e a criarem “personas” que representem aspectos de suas identidades e memórias familiares.
 

Já a partir das 15h, o Núcleo Educativo promoverá a ação “Para além do trem das onze”, voltada para o público acima de 10 anos, com o objetivo de refletir sobre os processos de modernização da cidade e como que a industrialização e a chegada do progresso influenciaram no seu desenvolvimento, nos laços afetivos de seus habitantes e na relação com este “novo” espaço urbano que passava a se formar.
 

O encontro proporcionará uma viagem para conhecer a São Paulo retratada por Adoniran Barbosa, sambista paulistano, descendente de migrantes italianos, que – em suas composições – relata o cotidiano dos habitantes e trabalhadores da “terra da garoa”. Após o diálogo acerca desse assunto, os participantes serão convidados a confeccionarem um estandarte, alegoria e símbolo das agremiações e dos blocos de carnaval, representando a história desses grupos, suas ideologias e tradições.
 

Toda a programação é gratuita. Para participar das ações é preciso entrar em contato pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.