Quinta, 22 Dezembro 2022 11:46

Museu lança novos Objetos Digitais de Aprendizagem

Avalie este item
(0 votos)

O Museu da Língua Portuguesa  lançou no último dia 19 de dezembro, a segunda edição do projeto Na Sua Escola: Objetos Digitais de Aprendizagem. Desta vez, o material, intitulado Língua da Rua, Rua da Língua, traz exercícios e dinâmicas que incentivam a observação das linguagens que podem ser encontradas nos ambientes urbanos. 

Desenvolvido pelo Lab_Língua Portuguesa, frente de difusão do Centro de Referência da instituição, o material inclui duas produções audiovisuais, além de um caderno de apoio voltado para professores e estudantes, que ficará disponível gratuitamente no site do Museu da Língua Portuguesa.

Em um dos vídeos, a jornalista e apresentadora do Canal da Quebrada, Jana Fernandes, e a intérprete de Libras e MC do Slam do Corpo Erika Mota perguntam ao espectador qual língua é possível encontrar na rua. Poesia? A fala de vendedores ambulantes ou de lojistas? Na realidade, tudo é linguagem, assim como as diversas manifestações linguísticas existentes na Rua da Língua, uma das experiências da exposição principal do Museu da Língua Portuguesa, que serviu de base para a criação destes ODAs. 

A Rua da Língua é uma tela de 106 metros de comprimento na qual são projetadas criações de nomes como Augusto de Campos, Arnaldo Antunes, Guto Lacaz, Filipe Grimaldi, Fábio Moraes, GG (Susto), Mana Bernardes, Ricardo Aleixo e Coletivo Bijari, com roteiros de José Miguel Wisnik e Leandro Lima. As obras exploram ditados populares, manchetes de jornal, poesia concreta e até mesmo pichações, revelando o dinamismo da língua portuguesa por meio da escrita e de elementos visuais e sonoros.

No outro vídeo, Jana e Erika reaparecem e propõem que estudantes e professores escolham uma rua e, a partir daí, observem o que existe e acontece nesta via. Banca de jornal? Padaria? Ponto de ônibus? Passa muita gente? A partir disso, deverão pensar que histórias essas ruas carregam.

Já o caderno do professor apresenta orientações para uso dos vídeos nos espaços de educação, com sugestões de atividades, planos de aula e conteúdos relacionados à temática tratada, potencializando o poder criativo dos professores. As informações contidas neste caderno foram construídas em colaboração com professores da Secretaria Municipal de Educação de Campinas (SP).  

A partir das discussões e reflexões levantadas no material, o projeto propõe que os alunos e professores desenvolvam trabalhos, em formatos de podcasts, vídeos, textos e dicionários, que tratem da diversidade e representação das identidades nas formas de falar e os compartilhem com o Museu. Os trabalhos poderão ser selecionados para divulgação no site da instituição e, assim, serem acessados por outros estudantes e professores, estimulando a produção e a troca com alunos e alunas de diferentes regiões do país.  


Lido 216 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.