Segunda, 23 Janeiro 2023 14:46

Entidades discutem segurança no entorno da escola Jesuíno de Arruda

Avalie este item
(0 votos)
Entidades discutem segurança no entorno da escola Jesuíno de Arruda Foto: divulgação

Reunião define ações imediatas e desdobramentos para ampliar discussão em São Carlos


Autoridades da área de segurança pública de São Carlos foram convidadas pelo vereador Azuaite Martins de França (Cidadania), 2° vice-presidente do CPP, a participar de uma reunião para discutir ações de prevenção a furtos e roubos na região da Escola Jesuíno de Arruda, da entidade e do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos de São Carlos (Sindspam).

Os secretários Fernando Carvalho (Relações Legislativas) e Samir Gardini (Segurança), o comandante do 38º Batalhão da Polícia Militar, Luiz Sérgio Mussolini Filho, o coronel da reserva e especialista em segurança, João Donizetti Scozzafave, o presidente do Sindspam, Adail Alves de Toledo, o diretor da escola Jesuíno de Arruda, Josué Enrique Silva e o diretor da Mult Sport, Paulo Picolo, participaram deste primeiro encontro.

“Aqui nesta região do Jesuíno, do CPP e do Sindspam, certamente um dos maiores pontos de circulação de veículos e pessoas de São Carlos, nós estamos com um problema grave de segurança”, registrou Azuaite. “E, num primeiro momento, solicitamos essa reunião para pedir auxílio e orientação sobre o que podemos fazer para colaborar”, frisou o dirigente do CPP.

De acordo com o relato dos participantes da reunião, além da circulação de veículos e pessoas, a região reúne, no Jesuíno de Arruda, 1,1 mil alunos, além de professores e demais funcionários. A Mult Sport tem uma circulação de pelo menos 2,5 mil pessoas por semana. O CPP e o Sindspam cerca de 200 pessoas por dia. “Além disso, estamos próximos ao CDHU da Vila Isabel e do Jardim Gonzaga, onde são registradas muitas ocorrências de tráfico de drogas”, observou Azuaite.

Ele relatou ainda que o próprio CPP mantém um estacionamento para veículos fechados devido à quantidade de furtos de fios de cobre. Ele informou que uma residência foi invadida por bandidos que mantiveram a família em cativeiro e levaram diversos materiais, além do veículo. O comandante Mussolini informou que os assaltantes desta residência foram encontrados e presos pela Polícia Militar.

“Nós precisamos de orientação de como podemos ser úteis e colaborar com as forças constituídas”, disse Azuaite.

O secretário de Segurança Pública da Prefeitura orientou as entidades a enviarem um ofício relatando esses problemas para que uma área de interesse de segurança pública seja estabelecida.

Samir informou ainda que defronte a escola Jesuíno de Arruda existe uma câmera de vigilância moderna capaz de fazer a leitura da placa de todos os veículos, inclusive auxiliando na busca dos veículos furtados ou roubados. Militar da reserva e chefe de gabinete da Secretaria de Segurança Pública, Paulo Belonci destacou a importância de registrar boletins de ocorrências como forma de contribuir no levantamento de dados oficiais.

Entre outros apontamentos, Scozzafave foi enfático ao cobrar ações que visem melhorar a situação urbana do município. Citou como exemplo o abandono da avenida Ayrton Salvador Leopoldino Júnior, que liga a região do CDHU à rodovia Luís Augusto de Oliveira (SP-215). “Ali existem mais de 400 empregos diretos, uma grande circulação de veículos e está com mato alto e muito entulho jogado, o que facilita a ação de bandidos e usuários de drogas”, observou.

Já o atual comandante da Polícia Militar de São Carlos e região disse que desde novembro de 2022, quando assumiu o posto, iniciou um trabalho de reorganização e que sua prioridade é combater o roubo de residências e o tráfico de drogas. “Fizemos ajustes na corporação e remanejamentos que já nos permitem agir de forma mais ostensiva”, detalhou. Ele disse ainda que a segurança pública é um tema complexo e que envolve outras instituições, como o sistema judiciário, conselho tutelar e polícia civil.

Entre as ações que ficaram definidas para discutir o problema de forma mais localizada está a divulgação do Programa Vizinhança Solidária, que visa envolver moradores e comerciantes a integrarem grupos de WhatsApp para ajudarem nos relatos dos problemas e promover uma reunião com demais vereadores para viabilizar recursos para a instalação de novas câmeras de vigilância na região.

“Também apontamos para ações que visam discutir o problema de maneira mais abangente, envolvendo toda a cidade”, explicou Azuaite. Uma reunião mais ampla que envolva Judiciário, Promotoria, Conselho Tutelar, Assistência Social deve ser articulada pelo vereador juntamente com outros parlamentares.

“Sabemos que existe uma questão social e uma série de outras questões legislativas no âmbito federal e estadual, mas também sabemos que é fundamental nos organizarmos enquanto sociedade local para fazer nossa parte”, ressaltou.

O secretário de Relações Legislativas da Prefeitura, Fernando Carvalho, se comprometeu a, com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos, verificar as questões que envolvam iluminação pública e poda de árvores na região. “Essas são questões que podem melhorar a sensação de segurança pública e vamos trabalhar neste sentido”, contou.

Lido 89 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.