Quarta, 29 Junho 2016 17:47

Renata Fan conta tudo sobre o Prêmio Escola Voluntária

Mônica de Araújo
Avalie este item
(8 votos)

Este ano será a 15ª edição do Prêmio Escola Voluntária.  O Centro do Professorado Paulista mantém a parceria com o Prêmio Escola Voluntária desde sua  primeira edição. A participação da vice-presidente, professora Loretana Paolieri Pancera, confirma o expressivo desenvolvimento desta iniciativa que, com muito sucesso, tem expandido voluntariado entre as novas gerações. 
 

Confira as opiniões e as emoções que a madrinha do Prêmio Escola Voluntária, Renata Fan, contou para a gente.
 

O Prêmio Escola Voluntária expandiu pelo Brasil. Você pode contar como foi essa evolução? Quantas capitais estão envolvidas?

RF: o Prêmio Escola Voluntária, ao longo desses 15 anos, tem procurado atingir mais e mais estados. Começamos por São Paulo e hoje já estamos em 14 estados e o Distrito Federal.
Para o ano de formação, por ser composto por cursos à distância, conseguimos oferecer a todos os estados. Já para o ano de premiação, como se trata de uma dinâmica diferenciada e mais complexa, temos que ser cautelosos. Por isso, a cada ano de premiação procuramos atingir novos estados. Esse ano de premiação, por exemplo, passaram a ser contemplados os estados de Mato Grosso, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Ceará e Pernambuco.
Num futuro próximo o Brasil inteiro poderá participar do ano de premiação.

 

Como você enxerga essa nova geração envolvida em ações sociais ?

RF: uma geração mais consciente, envolvida e pronta para participar ativamente dos desdobramentos do nosso País em termos sociais. Vemos jovens preocupados e atualizados com relação à construção de um futuro melhor, sustentável e com atitudes concretas. A meta desta geração é deixar um legado social intenso e decisivo.

 

Como madrinha do Prêmio Escola Voluntária o que mais a emociona?

RF: a garra e a ousadia dos jovens que aprendem a realizar trabalhos sociais em grupo, com ideias originais, confiantes em que vão melhorar a vida de pessoas e comunidades. A entrega e a dedicação desses jovens envolvidos no Prêmio Escola Voluntária me emociona e contagia a ser uma pessoa dinâmica e muito mais engajada.

Na sua opinião, o que o Brasil deveria fazer para gerar mais ações voluntárias? Como alunos e professores podem se posicionar ?

RF: Com projetos transformados em realidade. Ao fazerem algo positivo e verdadeiro, professores e alunos, juntos, estarão oferecendo uma ferramenta valiosa de perspectiva e exemplo para que outros se sensibilizem e queiram ajudar. A iniciativa é o que importa. Mostrar o quanto uma ação social pode beneficiar comunidades, instituições e pessoas. Precisamos de ideias que sejam práticas e efetivas. Quanto mais cedo o cidadão quiser um Brasil melhor, mais ele contribuirá para que tenhamos um País com oportunidades e bons perfis de liderança. 

 

Importante lembrar: o prazo para as inscrições da 15º edição do Prêmio Escola Voluntária foi prorrogado. Projetos de voluntariado realizados por alunos de escolas do Ensino Fundamental e Médio podem ser inscritos no site até o dia 10 de julho.

Podem participar instituições de ensino dos seguintes estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal.
O Prêmio Escola Voluntária é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e da Rádio Bandeirantes e tem como objetivo formar, incentivar e reconhecer escolas de Ensino Fundamental e Médio, públicas ou privadas, que desenvolvem projetos de voluntariado junto à comunidade. O projeto deve contar com a participação voluntária de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e/ou em qualquer série do Ensino Médio.

 

Desde 2014, cada edição do Prêmio passou a ser composta por dois anos, sendo que nos anos pares as escolas são premiadas pelo desempenho de seus projetos e, nos anos ímpares, são oferecidos cursos de formação. Desde 2001, o Prêmio já recebeu mais de 5.500 inscrições. No ano de premiação, cada escola selecionada (10 por edição), recebe uma equipe da Rádio Bandeirantes que transmite aos alunos conceitos de radiojornalismo e orientações práticas sobre como elaborar conteúdo para uma rádio. As reportagens produzidas pelos estudantes são veiculadas na programação da emissora. Por fim, uma comissão julgadora seleciona os melhores trabalhos, que serão premiados em cerimônia. A troca de experiências entre as escolas finalistas motiva estes jovens, que acreditam na responsabilidade social, a continuarem neste caminho. Incentivar escolas que promovem o voluntariado a ensinar que cidadania e solidariedade começam na sala de aula é um dos objetivos desta iniciativa.
 

Premiação
1º lugar: R$ 20.000,00
2º lugar: R$ 15.000,00
3º lugar: R$ 10.000,00
Educador Destaque: um notebook
 

Cronograma
30/05 a 10/07 – Período de inscrições
01/08 – Divulgação das escolas finalistas
15/08 a 16/09 – Visita às escolas finalistas
07/11 a 18/11 – Veiculação das reportagens feitas pelos alunos na Rádio Bandeirantes
21/11 a 23/11 – Encontro das escolas finalistas em São Paulo
22/11 – Evento de premiação em São Paulo
 



Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.