Quarta, 12 Setembro 2018 15:13

321 escolas do Ensino Médio reprovam mais que o país

Avalie este item
(0 votos)

Colégios da rede estadual da capital têm média de reprovação acima da taxa nacional

 

Levantamento com base no Censo Escolar 2017 do Ministério da Educação mostra que 321 escolas estaduais na cidade de São Paulo tiveram média de reprovação no Ensino Médio maior do que a taxa nacional. Os dados se referem ao ano passado, quando o estado estava sob a gestão Geraldo Alckmin (PSDB), atual candidato do partido à Presidência.
 

Essas escolas representam quase metade dos 679 colégios que fizeram parte da pesquisa no município. O índice leva em conta a média de reprovação das três séries do ensino médio. Os dados do censo foram divulgados recentemente pelo MEC, da gestão Michel Temer (MDB).
 

A média nacional de reprovação das escolas estaduais foi de 11,8%. O índice do estado de São Paulo atingiu 9,5%. A reprovação é considerada quando o aluno não consegue as notas necessárias e volta para a mesma série no ano seguinte.
 

O levantamento mostra também que a escola Dr. Álvaro de Souza Lima, no Parque Bristol (Zona Sul), é a com maior índice de reprovação no ensino médio - 39,01%. Por outro lado, a escola Francisco Voccio, no Horto Florestal (zona norte), teve o mais baixo (0,1%).
 

A reprovação no Ensino Médio coincide com o fim da progressão continuada. Adotada no Ensino Fundamental, ela prevê que a repetência por nota só aconteça na terceira, sexta e nona séries. No médio, a reprovação ocorre ano a ano.{
 

O MEC reconhece que o Ensino Médio é das principais deficiências da educação brasileira. O ministro Rossieli Soares chegou a declarar, em agosto, que o ciclo "está no fundo do poço". O cenário só deve mudar, diz o ministério, com o novo ensino médio.
 

É preciso aperfeiçoar, diz governo

A Secretaria de Estado da Educação, da gestão Márcio França (PSB), que assumiu o governo após a saída de Alckmin (PSDB), disse que o cenário do Ensino Médio "evidência a necessidade de aperfeiçoamento". Afirmou que, em 2019, uma das principais ações será a complementação da formação com cursos técnicos a distância para alunos da segunda e terceira série.
 

Disse também que os formados terão acesso gratuito na Universidade Virtual do Estado, sem precisar de vestibular.
 

A pasta acrescentou que a taxa de reprovação da primeira série do ensino médio foi de 13,6%, abaixo da média brasileira para as redes estaduais, de 16,9%.
 

Mais estímulos e melhor qualidade são a solução

Especialistas em educação dizem que é preciso mais estímulos aos estudantes do ensino médio de São Paulo para diminuir os índices de reprovação e melhorar a qualidade do ensino. "É necessário criar programas de incentivo aos estudantes do período noturno, horário frequentado pela maioria dos alunos na cidade de São Paulo. Esses programas precisam contemplar os estudantes de baixa renda, os mais afetados pela situação do ensino médio", afirma, Salomão Ximenes, coordenador do curso de políticas públicas da UFABC (Universidade Federal do ABC).
 

Outro aspecto que necessita ser aprimorado é a infraestrutura das escolas, dizem os especialistas. "Percebemos que o ambiente escolar está cada vez mais degradado e as reformas necessárias ocorrem de forma tímida. Sem a estrutura adequada, é um obstáculo a mais para o aluno atingir um nível regular de aprendizado", afirma Alberto Porto, consultor em políticas públicas de educação.

Fonte: MEC e Agora São Paulo

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.