Quinta, 07 Fevereiro 2019 11:37

Dicas para professor com alunos portadores de déficit de atenção

Avalie este item
(3 votos)

Professores contribuem positivamente no desenvolvimento de alunos diagnosticados com déficit de atenção


O índice de diagnóstico de TDHA no Brasil cresce 4% ao ano. Aproximadamente 5% das crianças e adolescentes entre 10 e 16 anos são diagnosticadas com déficit de atenção, especialmente nesta fase, o preparo para que o desenvolvimento aconteça naturalmente são essenciais. Família e amigos contribuem no desenvolvimento, mas os cuidados também começam em salas de aulas.

O preparo do professor é fundamental para que o desenvolvimento de cada aluno seja especial e positivo, por isso a capacitação também se faz importante e essencial para os profissionais da educação. Vamos ver algumas dicas que auxiliam neste processo de adaptação e acolhimento:

Reforço positivo: Frases como "eu acredito em você","você consegue", "parabéns", "bom trabalho", garantem um bom relacionamento com o aluno, então é positivo o elogio quando há acerto, mas a criança é atenta e pode acabar se esquivando caso os elogios sejam frequentes. A dosagem é importante.

Limite de criticas: Aprender e ensinar é fundamental, mas a criança ao receber uma critica pode ficar em estado de choque, a preparação para ensinar sem julgar é muito importante. Os pontos positivos devem ser sempre levantados.
 
Planejamento de atividades: Planejar atividades individuais para cada aluno é o maior ponto positivo, pois demonstra conhecimento e o aproveitamento é muito maior quando há esse planejamento. A criança se adapta ao perfil estabelecido e produz positivamente.

Evite comparação: Quando há comparação, automaticamente a autoestima é afetada, muitas vezes se torna  difícil de contornar futuramente. Então jamais faça uma comparação.

Estimular atividades físicas e culturais: O estimulo das atividades concentram a criança na interação, seja ela esportiva ou cultural. Os alunos se prendem facilmente e trabalham suas habilidades quando estão entretidos.

Brincadeiras com jogos e regras: Essas interações prendem a atenção da criança e a concentração surge facilmente,
 
Visando dar um exemplo de cidadania e melhorar o relacionamento dos professores com os alunos com TDAH, a única escola especializada da América Latina em TDHA, Recreio Cristian School, propõe gratuitamente aos professores da educação pública a capacitação especializada para que o preparo seja cada vez maior nas salas de aula e que os alunos estejam cada vez mais envolvidos.
 
A escola também prioriza o aprendizado individual de cada aluno, além das matérias tradicionais, eles também são encontram a oportunidade de interagir com aulas de multimídia, cinema, coral e jiu jitsu. Este método de ensino contribuí positivamente com o processo de aprendizagem.
 
Este modelo tradicional aplicado na RCS contempla com ambientes e atividades diferenciadas, no qual o professor é o facilitador do processo ensino-aprendizagem, favorecendo o espaço de interlocução e socialização. Além disso, há a instrução bilíngue, que favorece a aquisição total na língua inglesa, em 50% do ensino, ensejando preparação para Universidades brasileiras e internacionais.
 
Com a volta às aulas, a escola visa contribuir com a bagagem curricular dos educadores e enriquecer o conhecimento de quem deseja aprender a lecionar para alunos com TDAH.
 
Pesquisa e números sobre TDAH:

Cerca de 5% das crianças e adolescentes brasileiros tem TDAH, mas aproximadamente 250 mil delas não sabem que sofrem os efeitos do transtorno. Outro estudo feito pela Associação Brasileira de Psiquiatria revela ainda que menos de 20% das pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) são tratadas no Brasil.

A falta de assistência custa aos cofres públicos mais de R$ 1,8 bilhão por ano, consequência dos gastos com a repetência escolar. Já para o Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, nos últimos 10 anos, a importação e produção de Ritalina, medicamentos indicados para tratamento de déficit de atenção, cresceu 373% no País, o que impulsionou um aumento de 775% no consumo da droga.

No Estados Unidos o índice também é alarmante. No ano passado, 10,4 milhões de jovens até 18 anos foram diagnosticados com a doença. Um aumento de 66% nos últimos 10 anos. Na França esse índice não ultrapassa 0,5%, porque os psiquiatras e escolas francesas vêem a síndrome como característica psico-social e preferem tratar sem medicamentos, apenas com psicoterapia e aconselhamento familiar. No Brasil, a primeira instituição de ensino bilíngue, destinada a alunos com déficit de atenção, tem a proposta de reverter este quadro alarmante de repetência escolar e o baixo índice de aprendizado. 

1 Comentário

  • Link do comentário Silvia Regina Espinosa Sexta, 08 Fevereiro 2019 22:56 postado por Silvia Regina Espinosa

    Boa Noite!
    Meu nome é Silvia Regina Espinosa,sou professora da Rede Pública Estadual neste ano letivo estou ministrando aulas no ensino fundamental II ,oitavos e nonos anos e ensino médio e tenho alguns casos nas séries. Gostaria de receber a capacitação proposta recebida pela Recreio Cristian School visando aprimoramento e para auxiliar no preparo das aulas . Sou professora de Artes.
    Obrigada!

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.