Terça, 08 Outubro 2019 16:10

CPP leva reivindicações à Secretaria da Educação

Avalie este item
(10 votos)

Em reunião na manhã desta terça-feira (8) com o assessor do secretário da Edu­cação, Patrick Tranjan, o presidente do Centro do Professorado Paulista, professor José Maria Cancelliero, demais diretores da entidade e representantes do Departamento Jurídico e Procuradoria buscaram respostas para as demandas da categoria. Na oportunidade, o presidente reiterou a necessidade do restabelecimento de diálogo entre a Seduc e o CPP.

REAJUSTE SALARIAL

O professor José Maria reiterou a necessidade de uma política de reajuste salarial para recuperar o poder de compra do magistério e, de pronto, o pagamento do reajuste de 10,15% conquistado na Justiça.

Patrick afirmou que Rossieli Soares está empenhado na resolução do problema, fazendo gestões junto aos demais órgãos do Governo e deputados na Alesp. Ele explicou que não foi realizado empenho de recursos para este fim em 2018, mas acredita que o problema será solucionado nos próximos meses.

ATRIBUIÇÃO DE AULAS

Com relação à legislação para a atribuição de aulas (Portaria CGRH nº 6/2019), foi pedida a prorrogação do prazo das inscrições e a retificação da orientação com relação à ordem de pontuação. O CPP considera injusto dar uma pontuação a mais ao profissional apenas porque tem uma jornada integral.

O representante do secretário afirmou que haverá uma reunião ainda nesta terça para discutir a prorrogação do prazo da inscrição. Em seguida, perguntou o que a entidade pensava a respeito da Portaria.

Foi respondido que a prática da Secretaria em governos anteriores, de reunir-se com representantes das entidades para discutir a minuta da Portaria, contribuiu muito para a diminuição de problemas decorrentes da atribuição.


CONCESSÃO DO AFASTAMENTO PARA OS ENCONTROS EDUCACIONAIS

O CPP realiza desde a década de 80 reuniões educacionais com professores eleitos por seus pares. As reuniões realizadas em agosto e setembro (dias 30 e 6 respectivamente) até o momento não foram autorizadas.

O assessor Patrick Tranjan explicou que, em razão do programa de contenção ao uso do papel, todos os expedientes estão sendo digitalizados, causando problemas de fluxo. No entanto, afirmou que tomará providências para a rápida publicação do afastamento.


CONFIRA O VÍDEO DA REUNIÃO

 

9 comentários

  • Link do comentário Evalda Rodrigues de Santana Domingo, 13 Outubro 2019 20:34 postado por Evalda Rodrigues de Santana

    10,15% conquistado na justiça?? O problema será solucionado nos próximos meses de qual ano???
    Esses senhores são especialistas em gerenciar problemas ou foram escolhidos para trazer a solução?
    Entra ano e sai ano e ninguém sabe o que fazer, acho que os professores deveriam fazer campanhas nas igrejas e invocar o PODER de DEUS pra tirar esse espírito de cegueira e miséria que estão alojados no setor educacional de São Paulo; só que é o seguinte: Tem que crer que será feito.
    CPP: encaminhado à Procuradoria. Aguarde retorno por e-mail. Att.

  • Link do comentário Antonio Augusto de Araujo Vedoveli Sábado, 12 Outubro 2019 15:43 postado por Antonio Augusto de Araujo Vedoveli

    A RELAÇÃO CPP E GOVERNOS TUCANOS PAULISTAS É DE AMOR E ÓDIO. TALVEZ FREUD EXPLIQUE!!!

  • Link do comentário Eliane vizicato cagnin Quinta, 10 Outubro 2019 04:54 postado por Eliane vizicato cagnin

    Poder de compra? Kkkkkkk, poder de não passar fome!!!!!!!

  • Link do comentário Karina Quarta, 09 Outubro 2019 21:12 postado por Karina

    E os direitos ADQUIRIDOS que foram ARRANCADOS em 2011 de milhares de docentes,quando irão começar a reivindicar?Pois desde então são vistos,tratados como fossem inciantes na rede,carreira,ganhando salário inicial.

  • Link do comentário Robertha Quarta, 09 Outubro 2019 19:54 postado por Robertha

    O pior quem esta a pouco de se aposentar e nao pode pegar a jornada completa tem que se submeter a outro passar na grente por caisa dessa pontuação injusta

  • Link do comentário LILIANE FERREIRA FRANCISCA DA SILVA Quarta, 09 Outubro 2019 17:40 postado por LILIANE FERREIRA FRANCISCA DA SILVA

    Meu voto nenhum governo do PSDB nunca levou. Vergonha professor que vota em partido e coligações que não priorizam a educação!

  • Link do comentário Josué Oliveira Quarta, 09 Outubro 2019 08:52 postado por Josué Oliveira

    Todas essas questões são relevantes e o governo continua fazendo questão de mostrar que educação não é prioridade.O sindicato deveria brigar também pelos vr que ninguém recebe quando ultrapassa 3.777.00.E um absurdo ,ganhou um pouco a mais não se come.Fica aí minha dica.

  • Link do comentário Júlio Prado Júnior Quarta, 09 Outubro 2019 06:42 postado por Júlio Prado Júnior

    É preciso uma paralisação que reúna todas as entidades sindicais, mas sem politicagem, sem Lula livre, sem CUT, que não nos representa. Não iniciar o ano letivo.

  • Link do comentário Antonio Alves Leite Quarta, 09 Outubro 2019 01:02 postado por Antonio Alves Leite

    Nooooooooooossa ! é preciso levar até eles,como se não soubessem dos nossos problemas, principalmente dos reajustes? Esta certo o CPP, se não ficar em cima, eles desviam os valores dos nossos reajustes para outras áreas, Lamentável mas é verdade.
    João Doria , vai cair no esquecimento e nunca mais terá os votos do Professorado Paulista, este, é outro que não ganha mais nada, nada , nada.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.