Terça, 28 Janeiro 2020 11:44

Secretaria da Educação Estadual explica Calendário Escolar de 2020

Avalie este item
(1 Voto)

Início do ano letivo é daqui uma semana, no dia 03 de fevereiro

A partir da semana que vem, com o início do ano letivo no dia 3 de fevereiro, as escolas estaduais de São Paulo terão um novo calendário escolar. Ele foi pensado, segundo a Seduc, para acomodar as disciplinas do Inova Educação e para facilitar a aprendizagem, com dois novos recessos e as férias do segundo e do quarto bimestre.


Confira como ficará o calendário, com as datas de início e término dos recessos:

•      Início do ano letivo: 3 de fevereiro

•      Período primeiro recesso (fim do primeiro bimestre): entre 20 e 24 de abril

•      Período das férias (fim do segundo bimestre): entre 10 e 26 de julho

•      Período segundo recesso (fim do terceiro bimestre): entre 13 e 16 de outubro

•      Encerramento do ano letivo: a partir de 23 de dezembro

Mudanças atuam na melhoria da aprendizagem

As principais novidades são a previsão de períodos de recesso após o término do 1º e do 3º bimestres, com atividades diferenciadas opcionais nas escolas que mais precisam e que apresentarem projetos para favorecer a aprendizagem; Semanas de Estudos Intensivos para recuperar, reforçar e aprofundar aprendizagens de todos os estudantes, de forma alinhada às avaliações; e planejamento escolar que cumpra os 200 dias letivos, para efetivar os direitos de aprendizagem dos estudantes, potencializado pelo Método de Melhoria de Resultados (MMR).

A nova organização dos recessos, que passam a acontecer ao final do 1º e do 3º bimestres, contribui para que os estudantes e professores tenham períodos de descanso ao longo de cada um dos semestres. “Esses períodos são importantes para uma espécie de descompressão. É bom para o professor, que pode se reorganizar para começar o segundo bimestre, e também para o aluno, que, com menos tempo contínuo fora da escola, aumenta sua aprendizagem”, destaca o secretário Rossieli Soares.

Além disso, o calendário 2020 propõe Semanas de Estudos Intensivos, realizadas em momentos-chave do ano para reforçar, recuperar e aprofundar as aprendizagens essenciais para o percurso educacional dos estudantes. “As mudanças têm  o objetivo de fortalecer as habilidades essenciais a serem trabalhadas durante essas semanas, direcionando as ações dos professores, de acordo com as necessidades de aprendizagem de seus estudantes”, explica Caetano Siqueira, coordenador da Coped.

Apesar das mudanças no recesso, as férias dos professores continuam como nos anos anteriores – incluindo 15 dias em janeiro e 15 dias em julho. Essa mudança foi motivada pelo diagnóstico da Secretaria, baseado em evidências educacionais, as quais apontam que a concentração de férias em longos períodos tem impacto negativo na aprendizagem, em especial para alunos de menor renda.

Fonte: Seduc

2 comentários

  • Link do comentário Sueli Bento Quarta, 29 Janeiro 2020 15:02 postado por Sueli Bento

    O secretário consultou quem.para tomar essa decisão?
    Os professores, os pais ou os alunos.
    Democracia na educação não existe mesmo.
    CPP: encaminhado à Procuradoria. Aguarde retorno por e-mail.

  • Link do comentário Fernando Quarta, 29 Janeiro 2020 13:41 postado por Fernando

    Não acredito nesse calendário que só favorece professores e alunos. Sou funcionário estável e o governo Doriana nada faz prá melhorar as condições dos funcionários das escolas, lembrando que quem leva a parte administrativa de uma escola são os AOE, sem eles, não há atendimento burocrático. O que faz a gestão? Só cuida do pedagógico, disciplina, projetos e responsabilidades técnicas. Assim que esse cara sair e entrar outro, se o cara não gostar, volta ao que era antes. Só merda, pois mexeu com toda uma estrutura já montada - embora não falida -, de um sistema que vem dando certo, apenas que se faz necessário que a cambada de salafrários que administram os recursos não roubem tanto das escolas como fazem com a porrada de livros que todo ano mandam pras escolas. Quero que todos vão tomar no cu, políticos ladrões. Enfim, esse cara gosta de mostrar as caras na mídia posando de bom moço. E não se esqueça que ele tá tentando elevar a alíquota de desconto da previdência do Estado. Foi assim em 2007 quando pulou de 6% prá 11%, na época era o José Serra o governador e foi na surdina, pegou todo mundo de surpresa. Mas desta vez, não. Não vai ter caixinha de surpresa.
    CPP: encaminhado à Procuradoria. Aguarde retorno por e-mail.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.