Quarta, 09 Junho 2021 15:24

Especialista alerta para manter calendário vacinal atualizado

Avalie este item
(0 votos)

Dia Nacional da Imunização: Infectologista do curso de Medicina da Unicid, Dr. Renato Grinbaum, reforça a importância da imunização de doenças que podem agravar a Covid-19


Nesta quarta-feira (9) é comemorado o Dia Nacional da Imunização, data que foi estabelecida para conscientizar a população sobre a importância da vacinação. Esta é uma maneira eficaz de combater doenças como o coronavírus, caxumba, sarampo, gripe, entre outras, evitando também a mortalidade.

No Brasil, existe um Calendário Nacional de Vacinações, instituído por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Este serve como uma norma de vacinação para crianças e adultos, segui-lo significa proteção e cuidado para si mesmo e ao próximo.

O infectologista Dr. Renato Grinbaum e docente do curso de Medicina da Universidade Cidade de S. Paulo (Unicid), instituição que integra a Cruzeiro do Sul Educacional, reforça que a data serve para relembrarmos sobre a importância de mantermos o calendário vacinal atualizado para evitar contaminações como um todo, ou por precaução para que algumas doenças não se agravem e ocorram concomitantemente com a Covid-19, como a pneumonia bacteriana ou a influenza, e que já possuem vacinação geral disponível à população.

“A imunização é uma das ferramentas da ciência que mais contribuíram para diminuir a mortalidade, aumentar a longevidade e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Doenças como a varíola foram erradicadas e outras como a poliomielite quase desapareceram do cenário mundial. Vacinas são saúde, comprovadamente seguras e eficazes”, afirma o docente.

O médico da Unicid também aponta que para evitar a queda dos números de vacinações deve ser feito o estímulo por parte das autoridades, e também desmistificação das campanhas feitas contra a imunização.

Como funcionam as vacinas?

As vacinas são utilizadas para induzir a imunização contra vírus e bactérias, já que elas estimulam a produção de defesas contra agentes nocivos. O organismo produz anticorpos necessários e cria células de memória produtoras que permanecem vivas evitando contaminações.

“Dessa forma, se o vacinado for exposto novamente ao vírus ou bactéria causadores da doença, a resposta do anticorpo será muito mais rápida, protegendo a pessoa. Em outros casos, a imunização diminui os sintomas, como as vacinas desenvolvidas contra o coronavírus”, explica o Dr. Renato Grinbaum.

Por fim, o especialista finaliza ressaltando, que diante da maior importância dada às vacinas no cenário de pandemia do coronavírus, vale relembrarmos a relevância de seguirmos o calendário vacinal como um todo para prevenção de doenças.

Lido 64 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.