Sexta, 14 Janeiro 2022 11:23

Secretário municipal de Saúde enfatiza a importância da vacinação

Avalie este item
(1 Voto)

Público de 5 a 11 anos com comorbidades, deficientes e indígenas será o primeiro a receber a dose pediátrica da Pfizer



Segundo entrevista à Rádio Eldorado, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, enfatizou a importância da vacinação das crianças, especialmente neste momento que antecede a volta às aulas em fevereiro, quando estarão, de acordo com a previsão da prefeitura, parcialmente protegidas. Afirmou ainda que o passaporte da vacina não será exigido no momento. Ainda de acordo com o secretário, as escolas públicas e privadas estão hoje "perfeitamente adequadas com medidas de segurança sanitária".

Para o titular da pasta de Saúde o passaporte da vacina não é suficiente para combater a variante Ômicron do coronavírus. "Teríamos que eventualmente adicionar a testagem (antes das aulas), mas sabemos que há uma falta de teste no País." A recomendação é continuar com as medidas sanitária, como espaçamento entre pessoas, uso de máscaras, ventilação de espaços fechados, além de avançar na imunização das crianças.

PRÉ-CADASTRO

O acesso ao site Vacina Já de São Paulo para o pré-cadastro de vacinação contra a Covid-19 do público de 5 a 11 anos aumentou 11 vezes na quarta-feira (12, após o cadastramento ser liberado, conforme informou o governo do estado. A página recebeu 303 mil acessos somente em um dia. O governo de São Paulo destaca que esse pré-cadastro é opcional e não funciona como agendamento. Porém, agiliza o atendimento nos locais de imunização, evitando filas e aglomerações nos postos. Os pais ou responsáveis devem acessar o link, clicar no botão "Crianças até 11 anos" e realizar o preenchimento do formulário on-line.

A expectativa do estado é vacinar as 4,3 milhões de crianças com imunizante pediátrico no período de três semanas. A capacidade da vacinação infantil em São Paulo é de cerca de 250 mil crianças por dia. Há 5.200 locais de vacinação disponíveis, número que deverá ser ampliado com postos volantes em escolas da rede estadual.

POSIÇÃO DO CPP

Com a nova variante Ômicron do coronavírus, não tem ninguém menos vulnerável. Muito provavelmente, dada a falta de recursos das escolas e o próprio comportamento natural de aglomeração dos alunos, os professores e os profissionais da Educação estão mais expostos ao contágio do vírus.  A diretoria do Centro do Professorado Paulista reforça que diversas unidades escolares não dispõem de locais ventilados, salas amplas para distanciamento e isolamento, se necessário. Também faltam sanitários adequados, ambientes em que, muitas vezes, carece até de itens básicos de higiene. A entidade se mantém favorável ao retorno das aulas, desde que todos os protocolos de prevenção à Covid-19 sejam executados, possibilitando a volta segura para dentro das unidades escolares.

CPP É FAVORÁVEL AO PASSAPORTE DA VACINA

A diretoria do  Centro do Professorado paulista manifesta-se favorável ao passaporte da vacina para conter a disseminação da Covid-19, conforme decisão unânime em reunião desta quarta-feira (12). A entidade entende que a vacinação de todos, inclusive as crianças, e a adoção de protocolos sanitários (uso de máscaras, higiene das mãos e distanciamento social) são medidas fundamentais para o enfrentamento da pandemia, diante da propagação da variante Ômicron.

Com responsabilidade, a entidade reafirma o compromisso com a saúde pública e com a ciência. A conclusão do esquema vacinal é o caminho seguro para a superação do momento pandêmico.

Lido 67 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.