Segunda, 12 Agosto 2013 16:24

Muito além da sala de aula Destaque

Avalie este item
(0 votos)

Como em casa minha mãe, mais do que professora, é alfabetizadora, jamais tive planos de um dia ter a mesma profissão que ela, principalmente no meu tempo de faculdade.

As nossas vidas tomam caminhos que, às vezes, somos levados ou induzidos a seguir, que nos são proporcionados ou que são apenas a expressão de uma vontade que estava gravada em nosso subconsciente.

Proporcionar à criança a possibilidade de pular num buraco negro para que ela passe a outra dimensão e possa ler e escrever é algo absolutamente grandioso.

Um personagem da nossa história recente, como o filósofo alemão da virada do século passado Ludwing Wittigenstein, entre outros, lecionou em colégios e, nem por isso, ele, que é considerado precursor de duas viradas linguísticas, teve a pecha de ser "só" professor. A profissão é dignificante, transformadora e importante para o desenvolvimento de um país. Um Estado que valoriza o professor garante a evolução de seu povo e, mais do que isso, a sua não alienação daquilo que ocorre em torno de si.

Ponto de vista de Thiago Matsushita, mestre e doutor em direito pela PUC-SP, coordenador do curso de graduação em direito e professor de mestrado e doutorado

SECOM/CPP

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.