Quarta, 13 Outubro 2021 15:01

Azuaite, da Sede de São Carlos, assume vice-presidência do CPP

Avalie este item
(0 votos)

Mandato é de cinco anos; CPP tem 70 mil associados em todo estado de São Paulo; na regional São Carlos são cerca de 4 mil



Em uma eleição com 200 conselheiros eleitos por 70 mil associados no estado de São Paulo, o professor Azuaite Martins de França assumiu, em 7 de outubro, a vice-presidência do Centro do Professorado Paulista (CPP). A disputa eleitoral foi realizada em duas chapas. O grupo de Azuaite venceu com 170 votos, contra 15 e cinco abstenções.

A expressiva votação é fruto de uma atuação permanente em defesa dos direitos e deveres dos professores no estado. A diretoria do CPP, que terá mandato por mais cinco anos, conta com o presidente, José Maria Cancelliero, e mais dois vices, além de Azuaite, que assumiu o cargo pela primeira vez. Os dois outros são: Loretana Pancera e Silvio dos Santos Martins.

O CPP tem 70 mil associados em todo o estado; na regional São Carlos são cerca de 4 mil. “Nós não atuamos como um sindicato, mas como uma associação que luta pela defesa do magistrado”, afirmou Azuaite.

A nova diretoria entende que a legislação confisca o salário dos professores, sejam estaduais ou municipais, com a alíquota do desconto previdenciário e a falta de reajuste salarial em mais de seis anos.

“Esta é uma forma de sufocar a classe que perdeu o poder de compra.” Na avaliação de Azuaite, o CPP se opõe a tudo que afeta a educação e o professor. “São 90 sedes em todo o estado. Com essa estrutura, conseguimos atender as cidades de São Paulo”.

Entre as metas da direção eleita, está a interação com os professores para fazer com que o CPP tenha assento nos conselhos municipais e estaduais, como uma voz ativa na defesa da classe. A entidade ainda busca articulação com os parlamentos estadual e federal para que a classe dos professores possa colocar as reivindicações em pauta de negociação. “Precisamos interagir com os professores que estão na ativa.”

Na pauta estadual da Educação, Azuaite foi enfático: “Quando a troca de documentos entre a instituição e o governo não tem mais poder, temos de atuar de forma física. Buscar pessoalmente uma audiência e trazer o diálogo como protagonista da negociação”. Outra ação apontada por Azuaite está centrada na modernização da máquina administrativa do CPP para aumentar a estrutura e melhorar a eficiência da entidade na busca da aproximação com os professores.

Azuaite se reelegeu como vereador em São Carlos em 2020 e já exerceu na Câmara Municipal, em legislaturas anteriores, a Presidência da Casa.

Lido 172 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.
Campo destinado a comentários relacionados à notícia. Duvidas sobre Vida Funcional devem ser encaminhadas aos respectivos setores.
Clique aqui para ver os contatos.