Lorenzo Tessari

O ato de ensinar passa por diversos obstáculos em todos os níveis educacionais, principalmente no modelo remoto, que tende a diminuir a conexão entre professores e alunos. O on-line desafia os profissionais a desenvolverem as melhores técnicas para aumentar o engajamento dos jovens durante as aulas, considerando os estilos de aprendizagem, foco atencional, adaptabilidade ao modelo e diversos outros fatores intrínsecos de cada aluno.

Sabemos que tanto a interação síncrona quanto a assíncrona são essenciais para o sucesso do ensino remoto, porém, aumentar a participação on-line dos alunos é uma tarefa árdua. Dificilmente uma única ação gera o engajamento desejado para os professores. Por isso, trago um conjunto de iniciativas que podem ser empregadas para desenvolver esse laço entre profissionais, instituições e estudantes.

– Crie um ambiente de aprendizado amigável e inclusivo: uma atmosfera acolhedora, apreciada e inclusiva para os alunos  on-line, é o primeiro passo a ser levado em consideração. Regras de comportamento e o discurso civilizado entre os alunos precisam estar presentes para que tudo funcione.

– Utilize a tecnologia interativa: usar recursos e plataformas como fóruns de discussão, bate-papos em grupo e videoconferências que promovam a participação e colaboração dos alunos é essencial.

– Crie atividades envolventes e significativas: proponha exercícios que estimulem a criatividade, o pensamento crítico e a aplicação do conhecimento em situações do mundo real. Inclua projetos em grupo, simulações, estudos de caso e exercícios práticos que motivem a participação ativa do aluno. Existem muitas plataformas e sites que permitem uma atividade envolvente e dinâmica como Kahoot!, Socrative, Quizizz, Mentimeter, entre outras.

– Acompanhe e dê feedbacks regulares: observe o desenvolvimento do estudante e ofereça críticas de apoio ao seu trabalho. Estar acessível para responder a perguntas e oferecer assistência quando necessário, bem como escutar a opinião do aluno a fim de encontrar pontos de melhoria no serviço é fundamental. Afinal, o ambiente  on-line é recente na educação, precisamos ser humildes quanto a isso.

– Adapte o ritmo e o material da aula às necessidades de cada aluno para personalizar sua experiência de aprendizado. Oferecer várias ferramentas de aprendizagem, incluindo textos, áudios e vídeos, para acomodar os vários estilos de aprendizagem é uma maneira de fazer isso. A personalização por meio da Aprendizagem Adaptativa (Adaptive Learning) foi possibilitada com o avanço da tecnologia, empregá-la pode trazer um grande avanço não só em engajamento, mas também em aprendizagem.

– Estabeleça metas definidas e expectativas razoáveis desde o início. Deixe os objetivos de aprendizagem e do curso claros desde o início. Defina metas atingíveis e incentive os alunos a acompanhar seu próprio desenvolvimento. Nenhum curso faz milagre se não houver empenho do próprio aluno. Deixar essas expectativas registradas logo no início, evita frustrações posteriores.

– Incentive a participação ativa: incentivar os alunos a explorar e compartilhar ideias, fazendo perguntas abertas e promovendo o contato com outros alunos é essencial. Dê aos alunos a chance de se conectarem.

– A aplicação de componentes do jogo (Gameficação) como pontos, níveis e prêmios incentivará os alunos a participar e atingir seus objetivos de aprendizagem.

– Mantenha contato frequente com os alunos usando mensagens de textos e anúncios para mantê-los informados sobre o que está acontecendo na aula e o que se espera deles. Vale ressaltar que quanto menor a faixa etária dos alunos, menos e-mail eles utilizam.

O educador e a instituição devem conhecer as suas turmas e estar com a mente aberta para entender as peculiaridades de cada aluno, a fim de desenvolver as habilidades únicas de cada um. Claro que muitas vezes isso não é possível considerando o tamanho das classes e o modelo de ensino da instituição, mas é algo adaptável considerando as várias possibilidades existentes. Vejo que ensinar é mais do que transmitir o conhecimento, é se conectar com outras pessoas, adquirir novas experiências e construir novas histórias.

Lorenzo Tessari é Chief Operating Officer (COO) da Gama Ensino, startup de tecnologia desenvolvedora de um algoritmo proprietário que identifica os gaps de aprendizado dos alunos para o direcionamento dos seus estudos.