O Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou que todas as categorias de servidores públicos federais do Executivo que tiveram negociações salariais concluídas neste ano, mas que não foram aprovadas no Congresso, terão aumento. Em nota, o Ministério do Planejamento afirma que os reajustes sairão como medida provisória e beneficiarão oito categorias que assinaram acordos salariais com o governo até maio. Segundo o Planejamento, entre elas estão os médicos peritos do INSS, que fizeram greve até o início deste ano.

 

Segundo Oliveira, os recursos para pagar os reajustes dos servidores já estavam previstos no Orçamento de 2016 e no do ano que vem. Alguns projetos de aumento para o funcionalismo estavam no Congresso Nacional e outros nem sequer tinham sido enviados. Segundo Oliveira, isso ocorreu porque o governo vinha mantendo prudência em relação aos gastos para saber se teria recursos para cumprir a meta fiscal do ano.

 

O ministro defendeu os reajustes para servidores dizendo que o governo federal reduziu em meio ponto as despesas com salários dos servidores, passando de 4,6% para 4,1% do PIB (Produto Interno Bruto).

Fonte: Folha de S. Paulo