O Centro do Professorado Paulista, em apoio à greve sanitária em defesa da vida que se iniciou nesta segunda-feira (8), solicitou ao setor de Procuradoria que elaborasse modelo de requerimento a ser entregue na escola para que seja confirmado que o professor deu aulas remotas, assim configurando o teletrabalho com os alunos. A diretoria do CPP apoia a manifestação devido à falta de segurança sanitária para os professores, profissionais da educação e alunos.

Como a greve é um direito constitucional, orientamos a todos que não pressionem os professores a comparecerem às atividades presenciais, mesmo que esses profissionais não estejam no grupo de risco. Afinal, estamos em meio a uma pandemia com alta de contágio e hospitais lotados. O número de mortes no Brasil segue há mais de 10 dias com mais de mil mortos diários. A decisão de aderir ou não à greve sanitária é de cada um, e deve ser respeitada.

Por isso, o Departamento Jurídico do CPP, amparado na Lei 12.551/11, solicita aos professores que entreguem o requerimento na escola devidamente protocolado e assinado em duas vias, informando sua adesão à greve sanitária e a disponibilidade de trabalho remoto. Lembrando que o trabalho remoto também tem amparo legal.

Acesse aqui o modelo do requerimento
 

Modelo de Requerimento – Greve.pdf