Do total de vagas do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) para o primeiro semestre de 2016, 70% serão para cursos apontados como prioritários pelo Ministério da Educação, nas áreas de saúde, engenharia e formação do professor. Essas graduações já receberam prioridade no último edital do programa federal, mas sem uma definição da reserva de vagas. Nesta segunda-feira (14), a pasta publicou no Diário Oficial da União uma Portaria com cronograma para adesão de instituições privadas à primeira edição do financiamento estudantil no próximo ano, além de regras para a seleção dos estudantes.

 

A definição do número de vagas por escola, local de oferta e turma só ocorrerá posteriormente. A última edição do Fies ofertou 61,5 mil vagas – em 2015, foram 313, 9 mil novos contratos. Estão mantidos critérios como pontuação mínima no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 450 pontos e nota da redação acima de zero, renda familiar per capita (até 2,5 salários mínimos ) e conceito do curso (terão prioridade graduações com melhores indicadores de qualidade). A distribuição de vagas no território nacional vai considerar a “relevância social apurada por microrregião”.