A USP decidirá nesta terça-feira (23) se 14% dos seus calouros serão selecionados pelo Enem, em vez do tradicional vestibular da Fuvest. Nesta semana, a instituição paulista finalizou a proposta a ser apreciada pelo Conselho Universitário, última instância de discussão.

 

Segundo a proposta, ficarão de fora desse novo sistema cursos tradicionais de unidades da capital, como medicina, engenharia, administração e comunicação. Por outro lado, devem entrar no sistema de seleção federal relações internacionais (20%), direito (20% das vagas) e pedagogia (30%).

 

Cada faculdade definiu se aceitaria aderir à iniciativa e com quantas vagas. Os demais calouros continuarão escolhidos pela Fuvest. No caso da medicina, o conselho de graduação chegou a aprovar a adesão ao novo sistema, mas a congregação, que é superior, vetou. “A Fuvest já é consolidada. O Enem necessita de mais tempo para se consolidar”, disse o diretor da Faculdade de Medicina, José Otavio Auler Júnior.

 

A universidade trata como ‘experimental” a entrada no sistema baseado no Enem. A expectativa da reitoria é que a medida seja aprovada.

 

As informações são da Folha de S.Paulo

 

Secom/CPP