Animações disponíveis no YouTube mostram protagonismo dos pequenos em sala de aula dentro dessa temática

Dados do Panorama da Violência Letal e Sexual contra Crianças e Adolescentes no Brasil, lançado pelo Unicef e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostram que 179.277 crianças e adolescentes até 19 anos foram vítimas de violência sexual no Brasil entre 2017 e 2020, das quais quase 80% eram meninas.

Entre as animações criadas nesse programa, disponíveis no canal no YouTube, várias tratam do tema sob a perspectiva dos pequenos.

As crianças desenvolvem histórias a partir de suas próprias experiências e relatos sobre a importância do respeito aos direitos das mulheres e de todas as pessoas. “São manifestações genuínas das crianças e que devem ser estimuladas para que elas possam levá-las para seu cotidiano, de sua família, de sua comunidade e da sociedade. A construção dessa sociedade justa que todos nós queremos começa com a boa educação das crianças”, afirmou Vitor Azambuja, cofundador da startup.

As animações “A Bailarina Que virou Jogadora de Futebol”, “O Campeonato de Videogame” e “A Menina Que Lutou por seus Direitos” apresentam de maneira lúdica a importância da representatividade das meninas frente às suas escolhas.

Segundo Azambuja, é preciso garantir ferramentas para que as crianças sejam protagonistas de sua história e de transformações sociais. Dos casos de violência sexuais registrados em quatro anos no Brasil, um terço, cerca de 62 mil, foram praticadas contra crianças de até 10 anos. “Uma dessas animações aborda a história de Malala, do Afeganistão, que virou um símbolo de resistência feminina em todo o mundo. É importante que as crianças estejam atentas a esses significados”, afirmou Vitor.