Foto: arquivo pessoal

A estudante brasileira Lorrayne Isidoro conquistou o 18º lugar na Olimpíada Internacional de Neurociências, realizada de 30 de junho a 4 de julho em Copenhague, na Dinamarca. Carioca, aluna do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Pedro II, do Engenho Novo, a jovem de 15 anos foi destaque no evento de alto nível em conhecimento. O primeiro lugar ficou com uma estudante da Romênia.

Lorrayne ficou conhecida pelo excelente desempenho escolar e, também, pelos obstáculos que permearam seu caminho rumo à Olimpíada Internacional de Neurociências. A estudante encarou falta de dinheiro para viajar e atraso na emissão do passaporte, consequência de problemas com emissão de documentos oficiais na Casa da Moeda. Mas o dever foi cumprido com êxito.

Em determinada prova de clínica geral, que consistia no diagnóstico de doenças, Lorrayne levou o 2º lugar. “Nesta prova de clínica, ela só errou uma questão. As provas eram de altíssimo nível, todas em inglês e com perguntas orais”, afirma a orientadora Camila Marra, que esteve no evento com a estudante. Além do 18º lugar no concurso, a jovem trocou experiência com pesquisadores e jovens estudantes, o que, segundo quem a acompanhou, foi a maior conquista.

Integração

Além das provas, a estudante participou de jantares de confraternização com demais estudantes. A organização do evento fez questão de incentivar a integração entre os participantes. Lorrayne foi tratada como celebridade no aeroporto Tom Jobim, quando embarcava para a Dinamarca; ao chegar, foi recebida por brasileiros.