“A palavra impossível foi inventada por alguém que desistiu “.  A frase mexe  com a gente porque tem todo o sentido, ainda que não saibamos bem a sua origem.

Poderia ter sido criada por um professor, por que não?

Em Guerra e Paz, a famosa obra de Tolstói, uma das mais notáveis criações da literatura universal pela riqueza e realismo de suas descrições psicológicas, o autor descreve uma teoria fatalista da História, onde todos os acontecimentos  obedecem a um determinismo irrefutável.

O fatalismo pode ser bem encaixado nos romances. Na vida real dos professores do Estado de São Paulo esse conceito é substituído pela palavra coragem.

A que podemos atribuir a determinação dos professores da rede pública paulista enfrentarem uma labuta diária, recheada por intempéries, com salário desvalorizado, senão a uma obstinada vontade de ser o agente transformador, capaz de consolidar a educação como fator primordial para a reestruturação de uma nação mais democrática, consciente e justa?

O Centro do Professorado Paulista é ciente dessa tenacidade sem limite. Afinal, são 86 anos na luta pela valorização desses profissionais. Heróis, por vezes camuflados, mas o único, entre todas as profissões, capaz de acompanhar o desenvolvimento do ser humano, desde a mais tenra idade até estar totalmente pronto, apto para exercer a cidadania em toda a sua plenitude.

Parabéns, professor, pela determinação, pela persistência e pelo seu dia!