Foto: Leila Ofélia

Entidades do magistério, como Apeoesp e CPP (Centro do Professorado Paulista), pedem que professores paralisem as atividades na próxima terça-feria (3) e vão à Alesp (Assembleia Legislativa) protestar contra a reforma da Previdência e o abono concedido para equiparação ao piso nacional.
 

A previsão é que, na data, ocorra a votação em segundo turno da PEC (proposta de emenda à Constituição) da Previdência estadual. “Vamos percorrer os gabinetes para ver se os deputados mudam o voto. A reforma vai afetar todos os servidores, principalmente os aposentados”, diz Loretana Pancera, do CPP.
 

Sobre a greve, a Secretaria da Educação diz que orientou todas as escolas estaduais a permanecerem abertas na próxima terça-feira (3) e que, em caso de eventuais faltas, o superior imediato irá analisar a justificativa apresentada, de acordo com a legislação.
 

Fonte: Agora São Paulo/Cristiane Gercina